Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 11, 2011

Morreu um sonho?

Não soou muito bem a idéia de definir luto municipal em decorrência da vitória do NÃO no plebiscito como sugeriu a prefeita Maria do Carmo. Ouvindo um debate em um programa de rádio da cidade, um dos participantes afirmou que seria ridículo se de fato isso acontecesse. Muitos afirmam que apesar da derrota no plebiscito, a grande votação no SIM na região do Oeste Paraense comprova uma vitória em massa. Não houve uma derrota, e sim o adiamento do projeto de criação do Estado do Tapajós.

Novo discurso do governo

O Pará fala agora em descentralização administrativa e em buscar mais recursos para diminuir as desigualdades regionais. novo discurso, difundido por aliados do governador Simão Jatene (PSDB), é uma resposta à pressão política das regiões separatistas --que, apesar da derrota, comemoram ter obtido mais visibilidade para seus problemas. Os derrotados, porém, agora amargam um ressentimento contra o governo do Pará e exigem maior atenção.
Uma das ideias defendidas por aliados de Jatene é a implementação de administrações regionais de educação e saúde com autonomia financeira. A principal preocupação, entretanto, é aumentar a receita do Estado.
"A única pessoa com condições de reunir nossos cacos é o governador. Ele pode começar nos incluindo em um projeto de desenvolvimento do Pará", disse a prefeita de Santarém, Maria do Carmo (PT), defensora do Tapajós.
Veja matéria completa: Pará fala agora em reduzir desigualdades

O NÃO vence o plebiscito

Já é possível concluírmos que a tão sonhada divisão do estado do Pará não será possível. Com mais de 50% das urnas apuradas, o NÃO confirma os resultados das pesquisas. A população dos futuros estados  do Tapajós e Carajás devem com certeza continuar com desejo de lutar pela emancipação dessas áreas. Esperamos que o governo do Estado possa de agora em diante dá a devida atenção que essas regiões necessitam. Que este plebiscito tenha servido como reflexão para todos os políticos do Pará no sentido de ter mostrado as diversas mazelas que passa grande parte da população do Tapajós e Carajás. Com certeza  a região Oeste do Pará não será mais a mesma.

Link para divulgação do resultado do plebiscito já está disponível

Já está disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um link para o sistema Divulga, que irá informar a contagem do resultado do Plebiscito do Pará logo após o encerramento da votação. As urnas serão fechadas a partir das 17h de Belém, que corresponde às 18h de Brasília, uma vez que o Pará não adota o horário de verão.
Para acompanhar a contagem do resultado, basta acessar o endereçohttp://divulga.tse.gov.br ou acessar o link por meio da página principal do TSE na opção “Outros destaques”.
O Divulga irá contabilizar os votos dos mais de quatro milhões de eleitores paraenses que opinarão sobre a divisão do Estado do Pará para a criação de outras duas Unidades da Federação: Carajás e Tapajós.
Por meio do link Divulga, todos os brasileiros poderão acompanhar o resultado parcial de cada pergunta respondida na urna sobre a criação dos dois estados, além da porcentagem de comparecimento ou abstenção, além do balanço de votos válidos, votos brancos e nulos.
A previsão é de que o resul…

Plebiscito: Resultado sai ainda hoje

Imagem
[caption id="attachment_10353" align="alignleft" width="129" caption="Ricardo Lewandowski"][/caption]
Em entrevista coletiva hoje em Belém, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski (foto) revelou que a previsão é de que o resultado matemático do plebiscito seja conhecido ainda no domingo, algumas horas depois de encerrada a votação em todo o Pará. O ministro revelou ainda que o custo do plebiscito foi reduzido de R$ 25 milhões para R$ 19 milhões

O plebiscito é um momento histórico, e prova que a democracia brasileira está amadurecida e consolidada, disse o ministro.  Lewandowski disse que, a exemplo de 2010, quando os brasileiros foram às urnas de forma tranqüila, o povo paraense voltou às urnas novamente, de maneira ordenada e pacífica, para responder à consulta plebiscitária.
As informações são do TSE

Especial plebiscito

Imagem
Logo após a votação de hoje (das 17h00 às 22h30), a Rádio Rural apresenta o programa Especial Plebiscito, com os jornalistas Jota Ninos e Ormano Sousa, e com a participação do padre Edilberto Sena, do historiador Paulo Lima, do jornalista Manuel Dutra e do tributarista Evaldo Viana.
O Especial Plebiscito apresentará informações sobre o resultado das urnas em todo o Pará e análises sobre o "dia seguinte" no estado, dependendo do resultado.
Assim, hoje não será apresentado o programa Bazar Brasileiro. O programa especial poderá ser acompanhado pela Rádio Rural no dial 710 MhZ ou pelo site da emissora (www.radioruraldesantarem.com.br.)
Para participar do programa você pode ligar à partir das 17h00 para o telefone (93) 3522-2692, ou mandar SMS para o celular (93) 9145-4979 (Jota Ninos), ou ainda usar o e-mail bazarbrasileiro@gmail.com e o serviço de mensagens no site da emissora.
J.Ninos

Boca de urna indica 51% de intenções de voto para o SIM

Imagem
Publicada pelo blog Cidade de Santaréma pesquisa de boca de urna realizada em Belém que aponta  51% das intenções de voto para as frentes Tapajós e Carajás. Em Santarém são esperados 190 mil eleitores para dizer se querem ou não a divisão do Pará para a criação dos estados do Tapajós e Carajás.

Governo gasta sete vezes mais com Pará remanescente do que com Carajás e Tapajós juntos

O governo paraense gastou, em 2010, sete vezes mais com a região que abrigaria o Pará remanescente, caso o Estado seja dividido, do que com as áreas de Carajás e Tapajós, segundo levantamento do Idesp (Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará), órgão subordinado ao governo do Estado. O estudo foi feito com base em informações da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof).
Os gastos públicos com a área do Pará remanescente ao longo de 2010 foram de R$ 9,3 bilhões. Em Carajás, o governo gastou R$ 841 milhões e, em Tapajós, R$ 433 milhões. Somando as duas regiões, os gastos totais foram de R$ 1,3 bilhões. O Pará remanescente teria 4,9 milhões de habitantes, o que representa 64% da população atual do Estado (7,6 milhões). Carajás abrigaria 1,6 milhões de habitantes (20,7%) e Tapajós, 1,2 milhões (15,3%).
Mas mesmo considerando o gasto per capita, as regiões de Carajás e Tapajós estão em desvantagem: o gasto estadual por pessoa no Pará remane…