Postagens

Mostrando postagens de Novembro 25, 2011

Santarém: Corda oficial do Círio da Conceição é apresentada

Imagem
[caption id="attachment_10039" align="alignleft" width="260" caption="Corda Oficial do Círio"][/caption]
A Comissão do Círio e Berlinda apresentou  a corda oficial que será usada neste 93º Círio de Nossa Senhora da Conceição que acontece no próximo domingo (27). Ela foi produzida a partir de fibra de Sisal, mede 220 metros de comprimento e pesa aproximadamente meia tonelada. Foi confeccionada na Bahia pela mesma empresa que confeccionou a corda do Círio de Belém.
Ela deve permanecer no Sindicato dos Estivadores até o sábado pela manhã e em seguida será levada para a igreja de São Sebastião e no domingo segue para a procissão do Círio.
Informações: No Tapajós

Pará na lista da grilagem

O Governo federal lança hoje campanha contra a venda de lotes da reforma agrária. Um dos grandes problemas na questão é o estado do Pará. De janeiro a outubro de 2011, o Incra vistoriou 21.287 lotes situados em 13 estados e no Distrito Federal. O órgão, no entanto, informa que ainda não é possível dizer o número exato de casos em que ocorre a prática ilegal da venda de lotes da reforma agrária.
Segundo o Incra, o problema é mais acentuado no Pará, onde há muita grilagem de terra.
Sérgio Sauer, professor da UnB nos cursos de pós-graduação em Agronegócio e em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, diz que dados de até cinco anos atrás, usados pelo próprio Incra, FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) e Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), indicavam que 20% a 25% dos lotes não tinham como ocupantes as famílias originalmente assentadas.

Laudo conclui que área é do Pará

O laudo do Serviço Geográfico do Exército Brasileiro concluiu que uma área de 3 milhões de hectares, localizada na divisa entre os Estados do Pará e Mato Grosso, pertence mesmo ao território paraense. A área é requisitada pelo Mato Grosso desde 2005, mediante Ação Civil Ordinária, protocolada no Supremo Tribunal Federal em abril de 2004.
Nesta semana, o ministro Marco Aurélio Mello, relator do texto no STF, enviou ofício à Procuradoria Geral do Estado (PGE), informando sobre o assunto e estabelecendo prazo para o Estado se manifestar, se assim julgar necessário. Caso não haja contestação, a ação irá à instrução final e aguardará pauta de julgamento no Supremo. Segundo o procurador geral do Estado, Caio de Azevedo Trindade, é possível que a matéria seja julgada no primeiro trimestre de 2012. “O importante é que o laudo está favorável ao Estado do Pará”, ressaltou.
O documento do Exército já foi anexado ao processo no STF. A expectativa do procurador geral do Pará é pelo encerramento do p…