Postagens

Mostrando postagens de Julho 5, 2011

Banco do estado do Pará reduz taxa de juros para servidores.

Desde o dia 1º deste mês os cerca de 100 mil servidores públicos estaduais contam com a redução nas taxas de juros cobradas pelo Banco do Estado do Pará (Banpará). As tarifas que antes variavam de 1,8% a 3,6%, com o prazo de apenas 72 dias, agora variam de 1,5% a 1,8% ao mês com prazos de até 100 meses para o pagamento.
O presidente do Banpará, Augusto Sérgio Amorin Costa, explica que o banco pratica taxas competitivas em relação aos demais bancos e em alguns casos, segundo ele, elas ficam abaixo das praticadas pela concorrência. “Reduzimos nossas taxas de juros e ampliamos os prazos para o empréstimo consignado a servidores do Estado”, ressalta.
Prestes a completar 50 anos de existência, o Banpará anuncia outras medidas, como as novas linhas de crédito. “Teremos foco especial no público de Pessoa Jurídica, com linhas específicas. Deveremos inaugurar em Belém, também para esse público, uma agência personalizada para atendimento exclusivo desses clientes".
Todas essas ações ocorrerão…

Ciência: Tamanho do pênis está ligado ao dos dedos, diz nova pesquisa

A partir de agora, o dedo anular masculino servirá como mais do que um possível indicador de estado civil. Cientistas descobriram que, pela comparação entre ele e o indicador, é possível prever o tamanho do pênis ereto.
O cálculo não é feito pelo tamanho absoluto dos dedos, mas sim pela razão entre eles. A conta é feita dividindo o comprimento do dedo indicador pelo do anular. Quanto menor for resultado, maior deve ser o pênis. Ou seja: homens com o dedo indicador menor do que o anular tendem a ter o pênis ereto mais longo.
De acordo com os pesquisadores, liderados por In Ho Choi, da Universidade Gachon (Coreia do Sul), o resultado tem a ver com o nível de exposição que os homens tiveram à testosterona quando ainda estavam no útero.
Leia a matéria na íntegraAQUI

Ser gay é doença?

O ministro da Saúde da Índia, Ghulam Nabi Azad, gerou polêmica no país após ter dito, em uma conferência sobre a Aids, que o homossexualismo é uma "doença" que atinge cada vez mais pessoas. Ativistas disseram que as declarações são um atraso e prejudicam o debate no país.

"A doença dos homens que praticam sexo com outros homens é antinatural e não é boa para a Índia. Não somos capazes de identificar onde está ocorrendo", disse Azad nesta segunda-feira (4).

"É fácil encontrar as trabalhadoras do sexo e conscientizá-las sobre o sexo seguro, mas é um desafio encontrar os homossexuais", acrescentou Azad.

Até 2009, o homossexualismo podia ser punido com até dez anos de prisão. Apesar de não existir mais esta lei, grande parte da sociedade continua alimentando preconceitos e discriminando este coletivo.

"É surpreendente que o ministro da Saúde deste país faça um comentário assim", declarou à Ians o ativista Mohnish Malhotra, um dos organizadores do "…