Postagens

Mostrando postagens de Junho 3, 2011

OMS afirma que uso de celulares pode causar câncer.

Nesta semana, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer (Iarc) afirmaram que o uso de celulares pode causar câncer cerebral em seres humanos. As organizações basearam o estudo nas evidências obtidas sobre o impacto que os campos eletromagnéticos gerados pelas radiofrequências de celulares causam nas pessoas. O estudo, com dados até 2004, detectou aumento de 40% no risco de gliomas entre os usuários mais frequentes de celulares, ou seja, os que utilizam em média 30 minutos por dia em um período de dez anos.
Leia maisAQUI

Pará alcança meta de vacinação contra gripe.

O Estado do Pará alcançou a meta da 13ª Campanha de Vacinação contra a Gripe, com 80,75% de cobertura vacinal, o que representa 801.821 pessoas vacinadas. O anúncio foi feito, nesta quinta-feira (02), pelo secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, que estava acompanhado da coordenadora estadual de Imunização, Jaíra Ataíde.
A campanha foi realizada de 25 de abril a 13 de maio e teve como destinatários idosos com mais de 60 anos, mulheres gestantes, crianças de seis meses a menores de dois anos, indígenas e trabalhadores de saúde. Além da gripe sazonal, essa vacina também protege contra o vírus da gripe A (H1N1), que causou a pandemia mundial em 2009 e matou 30 pessoas no Estado.

Vereadores são afastados em Tailândia

Uruará em foco
A juíza da Comarca de Tailândia, Aldineia Maria Martins Barros, afastou, ontem, oito dos nove vereadores do município, atendendo pedido do Ministério Público, que constatou a prática de corrupção na Câmara. Os ilícitos envolvem todos os vereadores, incluindo a presidente da Casa, vereadora Maria Júlia Ferreira Celestrino, que fez as denúncias ao Ministério Público e que foi a única a não ser afastada. Ela dará posse aos suplentes dos vereadores afastados, amanhã de manhã. Segundo o advogado particular da vereadora Maria Júlia, Jorge Gama, “a cidade está em festa”.

Petistas querem a cabeça de Palocci.

Na con­tramão da es­tratégia traçada pelo ex-pres­i­dente Lula, diri­gentes e líderes do PT não só querem a saída do min­istro da Casa Civil, An­tonio Palocci, como já dis­cutem pelo menos dois nomes para sub­stituí-lo. Os min­istros Paulo Bernardo (Co­mu­ni­cações) e Gilberto Car­valho (Sec­re­taria-Geral) de­spontam como can­didatos. Os fa­voráveis a saída ar­gu­mentam que a manutenção de Palocci provoca enorme des­gaste ao gov­erno da pres­i­dente Dilma e au­menta ainda mais a crise política. Já Lula vê a si­tu­ação de outra forma, para ele se a os ali­ados não se­gu­rarem Palocci, a oposição não dará sossego. Mesmo com a pro­teção do ex-pres­i­dente, petistas vem re­forçando o coro das co­branças a Palocci, acu­sado de en­riquec­i­mento ilícito e trá­fico de in­fluência.  O pres­i­dente da Câ­mara, Marco Maia (PT-RS), ad­mitiu que a so­ciedade pre­cisa de mais in­for­mações. “O min­istro tem de se ex­plicar”, afirmou Maia.
Blog da floresta

Educação: Esclarecimentos sobre o PCCR.

A partir do próximo dia 13, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) começa a recadastrar os quase 42 mil servidores do órgão e, com isso, pretende atualizar dados inalterados há dez anos. Essa é uma das etapas mais importantes da implantação do Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração (PCCR), previsto para entrar em vigor até outubro.

Lançamento do plano Brasil sem miséria.

Imagem
O orçamento anual do Plano Brasil Sem Miséria será de R$ 20 bilhões. Na primeira fase, os recursos virão do Tesouro Nacional, no entanto, a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, afirmou que estados e organizações não governamentais também devem investir no programa. O plano prevê a retirada de 16 milhões de pessoas da extrema pobreza até 2014.
“Isso é dinheiro do governo federal. Os R$ 20 bilhões incluem tanto o desenho do Programa Bolsa Família quanto sua ampliação”, disse a ministra.
Durante a fase de implementação, o programa terá ainda R$ 1,2 bilhão de crédito adicional. O projeto de lei que prevê o recurso suplementar para o Orçamento de 2011 foi enviado pela presidenta da República, Dilma Rousseff, ao Congresso Nacional. “Vai completar um conjunto de ações, como a ampliação do Bolsa Família, a construção de cisternas e a contratação das equipes de assistência técnica”, disse a ministra.