Navegapará esteve sob risco de ficar fora do ar.

Mais de 1.600 órgãos públicos usufruem do programa de inclusão digital e social do governo do Estado, o NavegaPará. Toda essa rede, no entanto, esteve sob risco iminente de ficar arruinada, por causa de violações na infraestrutura da estação de telecomunicações. Foram danificados contêineres e roubados aparelhos de rádios, cabos e outros equipamentos. O Programa ganha novo fôlego, agora, tendo como marco a instalação da internet gratuita, via wi-fi, no estádio do Mangueirão.


Mesmo com a necessidade de repor peças, o governo do Estado garante que o NavegaPará é um instrumento de contenção de despesas, fora sua finalidade primordial de comunicação. "De agosto de 2010 a fevereiro de 2011 gastamos aproximadamente R$ 600 mil com manutenção, enquanto antes gastávamos R$ 600 mil em apenas um mês para as concessionárias", revelou Theo Pires, presidente da Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa), executora do projeto.


As violações na estação de telecomunicações da rede têm causado prejuízos incalculáveis. "São roubos e degradações que causam impactos financeiros e sociais, já que quando essa estrutura é violada o sinal sai do ar e a população fica impossibilitada de usufruir da internet. São escolas, infocentros, órgãos do Estado, prefeituras, hospitais... enfim, diversos locais que ficam sem a internet, causando um enorme impacto social", pontuou Theo.



Segundo o presidente, no período de 2010 e 2011 foram 16 localidades violadas. Em 2010, foram afetadas as unidades em Maracanã, Vigia, Bonito, Bragança, Castelo Branco (Castanhal), Colares, Comunidade Corrente, Magalhães Barata, Nova Timboteua, Peixe Boi, Primavera, Santarém Novo, Santo Antonio do Tauá, Pirabas e Tracuateua. Este ano, já foram violadas: Maracanã e Vigia, que já haviam sido restauradas, e Inhangapi.
Hoje, seis destas estão em fase de restabelecimento: Maracanã, Inhangapi, Vigia, São Caetano de Odivelas, Santo Antonio do Tauá e Tracuateua.


Torcedor assiste jogos conectado à internet


A partir da próxima partida de futebol no estádio do Mangueirão os torcedores poderão assistir aos jogos conectados à rede de internet, disponibilizada pelo novo sistema Wi-Fi do estádio. O acesso será totalmente gratuito. O público poderá acessar a rede através de computadores ou qualquer dispositivo móvel que integre a tecnologia Wi-Fi, como celulares e i-pads. O projeto faz parte do NavegaPará.


O acesso à internet será totalmente livre, não necessitará de senha para conexão e permitirá a acessibilidade em qualquer ponto do estádio. Até 800 pessoas poderão estar conectadas simultaneamente. "O projeto já foi implantado e está em fase de testes. No próximo jogo saberemos como a rede se comportará, e se acharmos que é necessário, iremos expandir a rede e permitir um maior número de acessos, mas a partir dos estudos técnicos, acreditamos que a atual estrutura atenderá a demanda do estádio", explicou Theo Pires, presidente da Empresa de Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa), executora do projeto.


Theo explica que a imprensa também será beneficiada com a nova rede, pois poderá ter acesso à internet em qualquer local do Mangueirão, que antes ficava restrito à sala de imprensa.


Agência Pará

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Prefeitura abre inscrições para o V Festival de Música do Tapajós

Escola tecnológica de Santarém realiza Feira Científica

Seduc apresenta calendário escolar 2018